Somos maioria como eleitoras na Paraíba, mas precisamos avançar mais como candidatas

Data: 5 de julho de 2022

Dados do Tribunal Superior Eleitoral comprovaram, mais uma vez, que a força da mulher nas eleições é muito mais do que simbólica. Segundo o TSE, na Paraíba, as mulheres serão maioria entre os eleitores este ano.

O eleitorado feminino é de 52,86% contra 47,14% dos homens. De forma mais detalhada, o levantamento do TSE aponta que o perfil da maior parte dos eleitores é de mulheres com ensino médio completo e entre 45 e 59 anos de idade.

Esses números mostram que as mulheres têm um interesse real e genuíno pela política e querem ir às urnas para definir os rumos da Paraíba e também do Brasil já que teremos eleições presidenciais este ano.

Também comprovam o excelente senso de cidadania que nós, mulheres, temos. Se somos a maioria dos eleitores é porque valorizamos a dádiva que é viver em uma democracia e fazer uso do direito ao voto.

O que os dados do TSE não mostram, no entanto, é o outro lado da moeda. Se é louvável que temos um protagonismo feminino entre os eleitores da Paraíba, o mesmo não se pode dizer do ponto de vista político-administrativo.

Das 36 vagas de deputados estaduais na Assembleia Legislativa da Paraíba, apenas sete são ocupadas por mulheres.

Deixando de lado colorações partidárias e sem querer advogar em causa própria, mas sim de maneira geral em direção a um maior protagonismo político feminino, eu defendo que possamos abrir mais espaço para as mulheres nas eleições de 2022 em nosso estado.

Que os eleitores do sexo masculino na Paraíba possam prestar mais atenção nas candidatas mulheres, ouvindo suas propostas. Que os homens sejam parte da mudança que vai garantir um maior equilíbrio de gênero na política paraibana.

Que as eleitoras do sexo feminino possam, dentro das suas ideologias e visões de mundo, considerar o fato de que mais mulheres no Legislativo significará um ganho na formulação de políticas públicas para as mulheres de forma geral.

Há uma provocação que gosto muito de fazer e que cabe aqui: você se lembra qual foi a última mulher que recebeu o seu voto? Se não é possível mudar o passado, é possível fazer diferente no presente e no futuro.

_Pollyanna Dutra_
_Deputada estadual e secretária estadual de Mulheres do PSB na Paraíba_ Fonte Assessoria



Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


The reCAPTCHA verification period has expired. Please reload the page.


  • Pesquisar: