Em audiência sobre os problemas do Semiárido, Pollyanna arremata: “ A gente não consegue pensar no desenvolvi

Data: 4 de maio de 2019

 

A Deputada Estadual, Pollyanna Dutra (PSB), integrante da Comissão dos Assuntos do Semiárido na Assembleia Legislativa da Paraíba, considerou positiva, audiência pública ocorrida na sexta-feira (03) no Auditório da UFCG de Pombal.
O encontrou proporcionou compartilhamento de informações entre o homem do campo, pesquisadores e, os políticos. Estavam presentes ao evento: prefeitos da região, deputados, professores universitários, pesquisadores, além de agricultores e representantes de associações da região.

Em entrevista à Imprensa, a Deputada Pollyanna frisou que as discussões sobre os temas, e o desenvolvimento do semiárido, não sejam apenas dentro do Parlamento, e completou: “A gente precisa chegar na ponta. O seminário é um tema que unifica uma bancada muito forte de deputados. Na verdade, é uma bancada com 17 deputados que têm suas bases eleitorais no semiárido, e a gente não consegue pensar no desenvolvimento da Paraíba sem passar pelo semiárido”.

Pollyanna Dutra que inclusive já foi Prefeita do Município de Pombal, conhecedora dos problemas setoriais, além de toda a geografia local, lembrou durante o encontro que o seguimento muito forte é a bacia leiteira, e nada melhor do que fazer uma discussão com os Agricultores, com ciência, com a política para dá as grandes respostas ao sertanejo.
Sobre as irregularidades pluviais no Sertão da Paraíba é um problema que precisa cada vez mais si adequar as novas tecnologias disponíveis para o Homem do Campo. “As chuvas há muito tempo foram impedimentos para chegada do desenvolvimento aqui no Sertão. O problema ambiental é mais uma questão política do que um problema social climático. É possível ter essa convivência aqui mesmo com a densidade pluviométrica baixa”, sustentou.
A Deputada Pollyanna advertiu que em outros Países é possível conviver com os problemas do semiárido, e pegando essa experiência é necessário desenvolver políticas públicas para a sobrevivência de mais de 1 milhão de pessoas que vivem no Sertão da Paraíba.

– Queremos fazer essa discussão aqui. Não dá mais para o PIB da Paraíba está concentrado em cinco cidades, e os recursos do Estado serem investidos em João Pessoa e Campina Grande. Aqui tem muita gente. A gente quer discutir o desenvolvimento daqui, pontuou.

Durante o evento, foram apresentados produtos produzidos em larga escada por indústria, artesanatos, derivados do leite, que muito se têm dado emprego e renda ao sertanejo. A Deputada Pollyanna advertiu que é preciso que o Governo der algum incentivo essa produção feita no Sertão do Estado, e lembrou que poder até pensar em criar um selo de qualidade, atestando os produtos locais, abrindo mais oportunidades, e empregos, consequentemente, sustento ao trabalhador rural.
– As pessoas por si, só não conseguem chegar até aí. A política chega aqui para dá essas respostas. É na política que a gente consegue dá um norte para esse segmento. A política que eu digo é o Parlamento, o Poder Executivo. É lá no Parlamento que a gente construí as Leis, e essas Leis devem ser montadas junto com o Povo. Ali é a Casa do Povo, mas a Casa do Povo não pode ficar em João Pessoa. Ela tem que chegar em Pombal, Patos, Catolé do Rocha, Cajazeiras, em Sousa. É necessário a gente fazer essa escuta na ponta. É na política que a gente tem as grandes soluções, disse.
As audiências públicas por parte da Comissão do Semiárido da Assembleia Legislativa da Paraíba acontecerão em outras Regiões do Estado, buscando conhecer melhor cada realidade, debatendo políticas sociais, encontrando soluções junto à população para melhorar a vida do cidadão paraibano.
Nesta audiência que aconteceu na Cidade de Pombal da Frente Parlamentar pelo Desenvolvimento do Semiárido da Assembleia Legislativa da Paraíba, participaram prefeitos da região, vereadores, presidentes de associações, agricultores, pesquisadores da UFCG, INSA, além dos Deputados: Júnior Araújo, Nabor Wanderley, Cabo Gilberto Silva, Taciano Diniz, e Dr. Érico.fonte repórterpb



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


  • Pesquisar: