Pollyanna Dutra cobra medidas de incentivo aos arranjos produtivos da PB Deputada destacou os potenciais existentes nas diversas regiões do estado

Data: 7 de agosto de 2019

 

A deputada Pollyanna Dutra cobrou medidas mais incisivas de incentivo aos arranjos produtivos existentes na Paraíba por parte de todos os poderes. Durante pronunciamento na 34ª Sessão Ordinária da Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB), Pollyanna destacou que a Paraíba tem números que revelam que, apesar de ter menos recursos, o estado é um dos que oferecem mais oportunidades aos que aqui vivem.

“Hoje temos um PIB de R$ 59 bilhões, o 19º entre os estados. Nosso PIB per capita é de R$ 14,7 mil, o 24º entre os estados. A taxa de desemprego na Paraíba atingiu 11,1% no 1º trimestre de 219, enquanto no Brasil é de 12,7%. Temos muitos potenciais ainda inexplorados”, destacou a deputada.

Para Pollyanna Dutra, é dever do Poder Legislativo ajudar a fomentar a economia do estado. “Este é um compromisso do nosso mandato. Estamos lutando por incentivos à produção e exportação do mel, bem como, durante o recesso, conhecemos um excelente exemplo: a Escola Agrotécnica do Cajueiro, onde vimos novos potenciais, como a cultura do maracujá que pode ser levada para o nosso Semiárido. É disso que precisamos: unir a política com as universidades e dar respostas efetivas aos problemas econômicos existentes na Paraíba”, disse.

A deputada ressaltou que o oitavo objetivo sustentável da ONU trata da promoção do crescimento econômico sustentado, inclusivo e sustentável, emprego pleno e produtivo e trabalho decente para todas e todos.

“A Paraíba precisa desenvolver suas vocações regionais e garantir condições de prosperidade aos pequenos, médios e grandes investidores, do Litoral ao Sertão”, falou. “É preciso deixar de pensar só em Campina e João Pessoa. Precisamos interiorizar os investimentos aproveitando os nossos potenciais e elevando o nosso Semiárido à posição de protagonista no desenvolvimento desse estado”, completou.

“Não há política pública mais eficiente do que o cidadão com emprego e dinheiro no bolso. Economia forte é o principal impulso para o desenvolvimento sustentável”, arrematou. Fonte assessoria



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


  • Pesquisar: