FORÇA-TAREFA CONTRA PANDEMIA DE CORONAVÍRUS CUMPRE DECRETOS, FECHA ESTABELECIMENTO E REALIZA PRISÃO NO SERTÃO DA PARAÍBA

Data: 1 de abril de 2020

_Uma pessoa foi presa na cidade de Itaporanga e uma loja de Patos foi interditada_

A Polícia Militar em conjunto com outros órgãos de fiscalização das prefeituras e do Estado, tais como: Secretarias de Saúde, Procon, Vigilância Sanitária, Guardas Municipais, entre outros, realizaram no dia de hoje (01), uma operação em diversas cidades do Sertão da Paraíba, com o objetivo de cumprir os decretos municipais e Estadual, que determinam o fechamento temporário de estabelecimentos comerciais, inclusive de bares, lanchonetes, restaurantes, boates, entre outros estabelecimentos, como medida de prevenção a disseminação do coronavírus( COVID 19).
A “Força Tarefa”, além de verificar as denúncias feitas pela população, realizou uma orientação e a conscientização quanto as novas medidas, realizando uma operação de saturação.
Vários estabelecimentos foram vistoriados no dia de hoje, culminando com duas autuações.
Às 08h15 min, na Avenida Getúlio Vargas, no centro da cidade de Itaporanga, o cidadão R.S.A., de 35 anos, proprietário de uma barbearia foi preso e conduzido a Delegacia por manter o seu estabelecimento aberto, em desobediência aos decretos. Estiveram nesta operação, policiais do 13º BPM, Corpo de Bombeiros, Ministério Público, Secretaria de Saúde de Itaporanga e STTrans.

Ainda pela manhã, na cidade de Patos outra Força Tarefa, através da vigilância sanitária, interditou uma loja que desobedeceu a ordem para manter a loja fechada. Participaram da ação, policiais do CPR II, 3º BPM e 4ª CPTRAN, além de agentes da Vigilância Sanitária, Guarda Municipal, CEREST Regional de Patos e Procon.

De acordo com o comandante do Comando de Policiamento Regional II, Coronel Campos, as ações estão sendo realizadas por todas as unidades de área com atuação nas regiões de Patos, Cajazeiras, Sousa, Itaporanga, Catolé do Rocha e Princesa Isabel, com o apoio do BOPE, BPTRAN, BPAmb e Força Regional; e têm por objetivo promover a fiscalização sistemática de caráter preventivo e abrangente em todas as atividades comerciais, autorizadas ou não, pelos decretos municipais, bem como, promover a segurança dos cidadãos que estão trabalhando.
O comandante alerta novamente, que o descumprimento das medidas poderá implicar na aplicação de penalidades administrativas e penais cabíveis, tais como: prisão do responsável e até o fechamento do estabelecimento.

_Fonte: Ascom/CPR II_



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


  • Pesquisar: